Crise, pandemia e aumento da luz: como minimizar impactos e economizar a longo prazo


O ano de 2020 nos impôs uma série de desafios. Se não bastasse pandemia, eventos climáticos e uma das maiores crises da história, neste último mês, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) também anunciou o reajuste das tarifas de energia elétrica. No Rio Grande do Sul, os clientes da empresa RGE Sul chegaram a registrar um aumento de cerca de 6%.


O maior impacto está nas contas empresariais. No Estado, são quase 3 milhões de consumidores assistidos pela RGE. Já, no restante do Brasil, as contas atingiram um aumento de até 3%. O reajuste é sobre o orçamento para a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) - um dos subsídios pagos pelos consumidores.


A CDE é formada por um conjunto de despesas que inclui diversos gastos, desde irrigação na agricultura à produção de energia termelétrica, por meio da Conta de Consumo de Combustíveis (CCC), passando pelos descontos da tarifa social de baixa renda, entre outros.



Energia limpa e economia a longo prazo


Neste momento, uma das alternativas para investir e garantir retorno a longo prazo é optar por painéis solares. A energia limpa é uma das melhores opções para quem deseja economizar a longo prazo e ainda estar livre de reajustes e taxas impostas.


De acordo com dados da Agência Internacional de Energia (AIE), a tarifa no Brasil é a 14ª mais alta em ranking comparado a 28 outros países. Em contrapartida, a energia solar pode gerar uma economia que varia entre 50% a 90%. Todo investimento da sua instalação é economizado por meio da diminuição de gastos no decorrer dos anos.


A Proinst atua em todo Estado desde 2002, realizando projetos qualificados com garantia de excelência e conhecimento especializado. Solicite um orçamento e entenda mais sobre as formas de economia que a energia limpa pode garantir.