Geração de energia solar no Brasil supera a potência instalada na hidrelétrica de Itaipu



A geração de energia solar fotovoltaica cresce em ritmo acelerado no Brasil. Prova disso é que o país ultrapassou 14 gigawatts de potência operacional, superando a potência instalada da usina hidrelétrica de Itaipu. Esse número inclui as usinas de grande porte e os sistemas próprios instalados em telhados e pequenos terrenos.


A expectativa dos especialistas é de que o setor cresça ainda mais em função dos aumentos na conta de energia elétrica e do Marco Legal da Geração Distribuída, que passou a valer em janeiro deste ano.


Segundo a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), na última década, a geração de energia solar representou mais de R$ 74 bilhões em novos investimentos, R$ 20,9 bilhões em arrecadação e a geração de 420 mil empregos. Quando se fala em impactos ambientais, também evitou a emissão de 18 milhões de toneladas de CO2 para geração de eletricidade.


Além dos investimentos e da geração de emprego, a entidade destaca o custo da geração de energia solar, que é até dez vezes menor do que a geração em usinas termelétricas ou a importação de energia elétrica. Foi a essas duas fontes que o governo recorreu para diminuir os riscos de uma pane no sistema energético brasileiro, o que também resultou nos aumentos constantes nas tarifas da conta de luz paga pelos consumidores.


Em entrevista ao Broadcast, do Estadão, o presidente do Conselho de Administração da Absolar, Ronaldo Koloszuk, afirmou que este é o melhor momento para investir em energia solar. Enquanto a conta de luz aumenta, os consumidores ainda podem aproveitar as regras do período de transição do Marco Legal para instalar um sistema de energia solar fotovoltaica com mais vantagens até janeiro de 2023.


O Marco Legal prevê que os consumidores que produzem energia solar também vão pagar bandeiras tarifárias e encargos. No entanto, esse pagamento seguirá uma regra de transição nos próximos anos, até que paguem a totalidade a partir de 2029.


Regra de transição para pagamento dos custos associados à energia elétrica:

→ 15% a partir de 2023;

→ 30% a partir de 2024;

→ 45% a partir de 2025;

→ 60% a partir de 2026;

→ 75% a partir de 2027;

→ 90% a partir de 2028.


Se você ainda quer aproveitar os benefícios das regras vigentes para instalação de um sistema fotovoltaico, não deixe para a última hora. Quanto antes executarmos o projeto, mais você economiza. Com a energia solar, a economia na conta de luz pode chegar a 95%!


Faça uma simulação grátis e venha conversar conosco para esclarecer suas dúvidas. A Proinst Engenharia conta com uma equipe de especialistas para criar e executar projetos para imóveis residenciais e comerciais com o máximo de aproveitamento dos benefícios da energia solar fotovoltaica.