Projeto quer criar sistema de energia solar infinita para o planeta Terra



Se os painéis solares fotovoltaicos captam luz solar durante o dia para gerar energia elétrica, por que não instalar uma usina solar no espaço, em um local que recebe a radiação de forma ininterrupta?


A ideia pode parecer absurda, mas o Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech), nos Estados Unidos, divulgou que haverá um lançamento de teste de protótipos demonstradores de uma tecnologia capaz de coletar energia solar na estratosfera e convertê-la em energia elétrica para uso na Terra.


A inovação, é claro, não é barata. O Caltech anunciou que a continuidade nas pesquisas do Projeto de Energia Solar com Base no Espaço (SSPP, na sigla em inglês) foi possível a partir de um investimento de US$ 100 milhões - aproximadamente R$ 528 milhões. O valor foi doado por Donald Bren, presidente da incorporadora imobiliária Irvine Company e membro vitalício do Conselho de Curadores do Caltech, ainda em 2013.


Como vai funcionar?

O projeto consiste na instalação de painéis fotovoltaicos na órbita terrestre. Ao captar a luz solar, a energia é direcionada para o planeta sem qualquer interrupção, já que não há interferência meteorológica ou do movimento de rotação da Terra. Essa transmissão deve ocorrer por um feixe orientável sem fio por radiofrequência.


Detalhes do sistema e a potência de geração, no entanto, não foram divulgados pois ainda são necessários muitos testes. Antes de ir para o espaço, o sistema deve ser testado em solo. O primeiro voo espacial do SSPP deve ser realizado em 2023, com remessa de pequenos painéis.


Posteriormente, os módulos fotovoltaicos deverão ser sincronizados para formar um grande sistema de geração de energia solar, que também pode ser ampliado com o passar do tempo e conforme a demanda. Segundo o Caltech, a estrutura do sistema pode chegar a cinco ou seis quilômetros de envergadura.


E o resultado?

Como sempre ressaltamos, o sol é uma fonte inesgotável de energia e sua utilização gera menos impactos ambientais em relação às fontes tradicionais. Seria esse projeto ousado a melhor alternativa para suprir a demanda de energia em todo o planeta de forma sustentável e infinita?


O SSPP ainda depende de muitas pesquisas e testes, e não se sabe quanto tempo vai levar para sabermos se a ideia funciona ou, mais do que isso, se poderá ser aplicada em larga escala. No entanto, vale ficar de olho no que está por vir!


Enquanto isso, dá para ter energia de qualidade com painéis instalados na sua casa ou na sua empresa, sem precisar fazer um investimento estratosférico. Faça uma simulação gratuita e converse conosco para esclarecer suas dúvidas!